Terça, 20 Agosto 2019 11:41

GOVERNO CONSEGUINDO REDUZIR GASTOS

Avalie este item
(0 votos)

READEQUAÇÃO FINANCEIRA...Roraima é um dos nove Estados que reduziu gastos em 2019...Redução possibilitou pagamento de todos os servidores em dia e até dentro do mês, como em julho, quando pagamento foi efetuado dia 26

Por ROSI MARTINS

O Estado de Roraima está entre as nove unidades da Federação que conseguiram reduzir gastos em 2019. Os dados são do Relatório Resumido de Execução Orçamentária, divulgado nesta segunda-feira, 19, pela STN (Secretaria Nacional do Tesouro). Os outros Estados são Acre, Alagoas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí e Tocantins.

Os dados são comparados ao mesmo período do ano de 2018. De janeiro a junho de 2018 os gastos do Governo de Roraima, de acordo com o Fiplan (Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado), foram de R$ 588.724.953,51 e no mesmo período, porém em 2019, foi R$ 544.496.831,18. Correspondente ao montante empenhado pelo governo, a economia foi de R$ 44.228.122,33, aproximadamente 7,3%.

O Governo de Roraima decretou calamidade financeira por 180 dias, no dia 28 de dezembro de 2018, com Antonio Denarium ainda na condição de Interventor Federal. O decreto foi prorrogado no dia 26 de junho, por mais 180 dias. Neste período ficam vedados os gastos com diárias, viagens, horas extras e concessão de gratificações.

A medida possibilitou que a folha de pagamento dos servidores seja mantida em dia e paga dentro do mês, como ocorreu em julho, quando todos os servidores da administração direta e indireta receberam no dia 26.

Além disso, o duodécimo dos Poderes e os repasses referentes a ICMS (Imposto de Circulação sobre Mercadorias e Serviços) e IPVA (Imposto sobre propriedade de veículo automotor) para as prefeituras estão sendo feitos mensalmente, o que nos últimos três anos ocorria sempre com atrasos e ações na justiça. O Estado também está reavaliando contratos e diminuindo custos excessivos.

"Estamos fazendo uma gestão séria, livre de corrupção, austera para que o governo tenha a saúde financeira recuperada e possa, ao invés de pagar contas, investir em melhorias para a população", acrescentou o governador Antonio Denarium.

 

 

AUSTERIDADE

O titular da Sefaz (Secretaria de Fazenda), Marco Alves, explicou o que está sendo feito para chegar ao equilíbrio financeiro. “O Estado passa por um momento de grande austeridade. Estamos em calamidade financeira, as receitas hoje não são suficientes para cobrir todas as despesas, por isso, o Estado está tentando manter esse equilíbrio e só faz despesa se tiver receita para quitá-las”, relatou.

Sobre o pagamento de diárias, o secretário informou que serão pagas assim que o Estado tiver condições. “Não há corte nas diárias, o que existe nesse momento é uma suspensão de seus pagamentos em função da calamidade financeira e dos poucos recursos que o Estado possui, mas elas serão pagas assim que o Estado tiver receita suficiente para isso”, complementou.

...

Foto: Ederson Brito